Promoção #1 - Sorteio de 100 seguidores [ENCERRADA]

18:11 Helena Dias 34 Comments



Oi, gentennnn!!

Finalmente o blog chegou aos seus 100 seguidores [êêêêêêêêê]. Isso me deixou muito feliz, sério mesmo!! É muito bom saber que as pessoas se interessam e gostam das coisas que eu posto!

34 comentários:

Minha Opinião #11 - Antes que eu vá

14:04 Helena Dias 9 Comments

Nota:

Livro: Antes que eu vá [Before I fall]
Autora: Lauren Oliver
Editora: Intrínseca
Sinopse: Samantha Kingston [Sam] tem tudo: o namorado mais cobiçado do colégio, três amigas fantásticas e todos os privilégios no Thomas Jefferson, colégio que frequenta - da melhor mesa no refeitório à vaga mais bem posicionada no estacionamento. Aquela sexta-feira, 12 de fevereiro, deveria ser apenas mais um dia de sua vida mágica e perfeita. Em vez disso, acaba sendo o último. Mas ela ganha uma segunda chance. Sete segundas chances, na verdade. E, ao reviver aquele dia vezes seguidas, Sam desvenda o mistério que envolve a sua morte, descobrindo, enfim, as consequências de suas ações e o verdadeiro valor de tudo aquilo que esta prestes a perder.

Curiosidade: Oliver afirma ter escrito tudo em seu BlackBerry dentro do metrô, enquanto estava indo à reuniões. Ela enviava os capítulos para seu e-mail para, depois, trabalhar mais neles. Este livro está em negociação pela FOX para ser transformado em filme. 

9 comentários:

Minha Opinião #10 - A Publicidade é um Cadáver que nos Sorri

11:40 Helena Dias 3 Comments

Livro: A Publicidade é um Cadáver que nos Sorri
Autor: Oliviero Toscani




Sinopse: Para Oliviero Toscani, a publicidade é um cadáver sorrindo: as fórmulas que"vendem" felicidade nunca fizeram sentindo e estão gastas, mas continuam sendo usadas. Diz também que o consumidor dos dias de hoje é bombardeado com promessas ridículas e slogans repetitivos. O livro conta a história de Toscani desde os tempos em que era fotógrafo de moda das principais publicações europeias, e todo o processo de criação do polêmico publicitário. Ele devolve ao mundo a violência dos preconceitos, alterando a ideia de marca e produto. Um assunto amplamente discutido pela sociedade, e muitas vezes censurada, na medida em que suas fotos tornam evidentes problemas como racismo, pecado, guerra, AIDS e religião.


Minha Opinião: Eu pesquisei algumas resenhas sobre esse livro, antes de começar a escrever o que eu mesmo achava. Confesso que fiquei curiosa para saber o que outras pessoas pensaram sobre o mesmo. [Relaxa, não me deixei influenciar por nenhuma delas. Não sou tão fácil assim... rs]


Primeiramente, esse livro deve ser lido com o pensamento na década de 90, quando a publicidade deslanchou e se desprendeu do jornalismo. Acredito que assim, fica mais fácil compreender a linha de pensamento do autor.


Toscani sempre revolucionou com sua forma de fazer publicidade e, eu o admiro por arriscar. Algumas de suas críticas são verdadeiras e devemos sim levar em consideração. Arrisco dizer que ele iniciou esse modo de fazer "propaganda consciente". Porém...


Quando comprei o livro, o que me chamou a atenção foi a oportunidade de poder entender melhor a proposta defendida por Toscani. Entretanto, não me convenceu. Não achei muito firme. A obra me pareceu mais uma forma egocêntrica de se mostrar "moderno e revolucionário". Ele generaliza quando diz que só existem publicitários ruins e quando, indiretamente, se intitula "o salvador" da publicidade. [Oi? o.O] 

É cansativo quando só se vangloria e reclama dos outros.

Além disso, ele trata o público como crianças, a quem os "malvados publicitários" conseguem persuadir sem que ele quisesse ou precisasse. Contudo, voltando um pouco na história da comunicação, a segunda fase da Escola de Frankfurt já dizia que o consumidor não é bobo. Ele vê o que lhe é proposto e filtra o que ele quer. Jogar a culpa na mesma publicidade que fez com que ele se erguesse é cuspir no prato que comeu, né?! 


Aliás, como publicitária, tive várias impressões sobre Toscani: puras e ingênuas; críticas e amargas. Hoje, estou convencida de que nenhuma delas se encaixa. Penso que esse italiano, mesmo com a sua forma egocêntrica de pensar, foi uma pessoa atenta ao mundo da época e que soube antecipar preceitos e conceitos que, no Brasil, só viemos conhecer muito depois e, ainda assim, não por completo.


Enfim... Eu recomendo, apenas, se você ficar curioso em saber mais sobre esse polêmico fotógrafo.




Algumas propaganda feitas por Toscani



Outono/Inverno 1989-1990

Outono/Inverno 1989-1990

Outono/Inverno 1991-1992

Primavera/Verão 1992

Outono/Inverno 1993-1994


E, aí? Gostaram?
Beijos e boa leitura!


3 comentários:

Dica #10 - Book Depository

11:38 Helena Dias 6 Comments




Quem gosta de leitura, adora saber o que as outras pessoas estão lendo, né?! Agora, você pode espiar os hábitos de leitura das pessoas do mundo inteiro. Ou, ao menos, saber que livros elas estão comprando.

6 comentários:

Dica #9 - 11ª FLIP

11:51 Helena Dias 6 Comments



A 11ª Festa Literária Internacional de Paraty, a FLIP, começou nesta quarta-feira [03/07/2013] com show de Gilberto Gil.

6 comentários:

Minha Opinião #9 - O Lado Bom da Vida

13:53 Helena Dias 13 Comments

Nota:

Livro: Silver Linings Playbook (O Lado Bom da Vida)
Autor: Matthew Quick
Sinopse: Pat Peoples, um ex-professor, acaba de sair de uma instituição psiquiátrica. Convencido de que passou apenas alguns meses naquele "lugar ruim", Pat não se lembra do que o fez ir para lá. O que sabe é que Nikki, sua esposa, queria que ficassem um tempo separados. Tentando recompor o quebra-cabeça de sua memória, agora repleta de lapsos, ele ainda precisa enfrentar uma realidade que não parece muito promissora. Com seu pai recusando-se a falar com ele, a esposa se negando a aceitar revê-lo e os amigos se negando a contar o que aconteceu durante o tempo em que esteve internado, Pat, agora viciado em exercícios, está determinado a reorganizar as coisas e reconquistar sua mulher. Sua mãe apenas quer protegê-lo na esperança de que ele "volte ao normal", mas quando ele fica amigo da misteriosa Tiffany, os segredos começam a se revelar.

Curiosidade: A versão em inglês do livro [que foi a que eu li] é intitulada "The Silver Linings Playbook". A caráter de curiosidade, resolvi definir esse título ao meu ver. Então, vamos lá:
Silver Lining é uma expressão que representa o contorno prateado da nuvem quando ela esconde o sol. Vinda da frase "Every cloud has a silver lining.", essa expressão traz a ideia de que mesmo uma situação ruim pode trazer alguma coisa boa. Se comparada à uma expressão brasileira, eu diria que é "Há males que vem para o bem".
Playbook é o caderno de estratégias, jogadas, planos e resultados utilizado pelo técnico no futebol americano. [e esporte pelo qual Pat, seu irmão, seu pai e e seus amigos são apaixonados]
A partir dessas definições, "Silver Linings Playbook" significa um conjunto de coisas ruins que resultam em uma coisa boa.

13 comentários: